Arquivo do autor:arleiro

A Bela das Mercês

 Deu-se a história com um aprendiz de boticário,  uma dama de roupas largas e uma janela no segundo andar de um sobrado da rua das Mercês. Quanto ao tempo em que sucedeu, quem o sabe ao certo? Afinal, nas imutáveis pedras da … Continuar lendo

Publicado em Outras | 2 Comentários

Uma manhã

  Ele disse, assim tão repentina e descabidamente, como quem diz ”acho que vai chover”..: – Meu amor, como você é linda! Ela não girou a cabeça, ocupada como estava em ajustar a altura exata do cinto (nem muito acima … Continuar lendo

Publicado em Outras | 2 Comentários

O Arame Farpado

Os seres humanos costumam desejar ardentemente a mudança, mas possuem um arraigado e poderoso receio dela. Não por acaso, Thoreau observou que “muitos homens vivem vidas de silencioso desespero”. A espécie humana é dotada da faculdade de pensar e sonhar, … Continuar lendo

Nota | Publicado em | Marcado com | 3 Comentários

Uma fita amarela

Como é profundo e aterrorizante o medo de decepcionar a quem se ama… o medo de perder a admiração de quem justamente mais desejamos, ardentemente, que nos admire! Uma velha e adocicada canção country americana, composta por Irwin Levine e L. … Continuar lendo

Publicado em Outras | 3 Comentários

Equinócio

23 de setembro de 2011, Equinócio da Primavera no Hemisfério Sul. O dia e a noite duram exatamente o mesmo número de horas; o sol incide igualmente sobre os dois hemisférios da Terra. Um momento preciso, um instante astronômico, uma … Continuar lendo

Publicado em Outras, Poemas, contos e crônicas | Deixe um comentário

Noites sem sentido…

Dizia uma daquelas lendas da música pop que o casal Paul e Linda McCartney, durante toda sua convivência (de 1969 até a morte de Linda em 1998) havia permanecido apenas uma única noite separados um do outro. Muito provavelmente folclore … Continuar lendo

Publicado em Outras | 1 Comentário

Ser ou não ser… ridículo

 Fernando Pessoa escreveu: Todas as cartas de amor são Ridículas. Não seriam cartas de amor se não fossem Ridículas. Também escrevi em meu tempo cartas de amor, Como as outras, Ridículas. As cartas de amor, se há amor, Têm de … Continuar lendo

Publicado em Literatura, Outras, Poemas, contos e crônicas | Marcado com , | 1 Comentário