Em defesa das mulheres elegantes

Senhores e senhoras do júri; por favor! Não condeneis as mulheres elegantes ao ostracismo da Sessão da Tarde, ao desprezo da modernidade ou à pecha de futilidade! Não as condeneis à extinção, à marginalidade ou aos guetos. Não permitais que definhem, que sejam alvo do desprezo ou da abjeção!

E eu não me refiro, senhores e senhoras do júri, àquela prima-irmã da elegância que se chama sofisticação ou seu irmão gêmeo, o requinte. Não se trata, aqui, das mulheres socialmente bem situadas que tem Victor Hugo, Prada ou Dior no guarda-roupa, ou que praticam o esporte enfadonho da ostentação. Elegância não é isso, não a ofendam com um tão apressado julgamento. Elegância está na alma, e não nos panos ou nos couros. Uma mulher elegante é aquela que sorri frente à adversidade, que assume tanto a glória quanto a crítica, que ao sentar-se dispõe de cada membro, cada músculo e cada curva como fossem versos de um poema, de modo tal que, ainda que usando o mais singelo dos vestidos ou na total nudez de maquiagem e acessórios, transpareça a precisão estética de um soneto ou de um retrato.

A elegância não tem classe social, credo ou etnia. Uma mulher elegante, caros jurados, não se abriga na segurança obtusa da multidão, faz questão de ser ela mesma e de evitar quase todos os clichês e os jargões, exceto “muito obrigada”, “com licença”, “foi um prazer”, “peço desculpas” e “sinto muito” – uma mulher elegante ama a gentileza e cortesia.  Uma mulher elegante ouve várias opiniões, uma mulher elegante lê, e lê muito – mulheres elegantes gostam de livrarias e da conversa de pessoas interessantes. Uma mulher elegante não é aquela obssessivo-compulsiva com todo e qualquer quilograma indesejado, que perde o precioso tempo de uma vida a lutar com o próprio corpo, mas uma mulher elegante permite-se apreciar moderadamente qualquer sabor sem buscar o enfaramento ou sofrer da culpa descabida.

Uma mulher elegante discute, polemiza, expressa sua opinião – mas à estupidez e à truculência ela responde com a serenidade de um sorriso e o silêncio que desarma. Não confundam as mulheres elegantes com as impostoras, daquela elegância profissional e impessoal, ou daquela farsa tão grotesca das colunas sociais. As mulheres elegantes, ainda que não sejam abençoadas com a graça ou a formosura, são sempre belas; são lindas de se ver, são lindas de se ouvir. Uma mulher elegante é aquela que se permite amar, mas reserva o melhor de si a quem mais faz por merecer. Não são avarentas de seus encantos, mas não os oferecem em pequenas e universais porções o tempo todo: uma mulher elegante faz de si um troféu a ser conquistado e protegido.

Eu até sei, senhores jurados, eu até sei que  mulheres mais lascivas e grosseiramente atrevidas fazem girar mais abruptamente os pescoços masculinos e muito mais capturam-lhes os olhares, mas peço a apreciação das evidências: que resta a esses olhos masculinos, tão prontamente saciados, que os impeça de partir e atracar em outros portos? Que triste e comovente é o destino destas mulheres  pródigas de si mesmas, que cedo já esgotam seu prover, em comparação às  mulheres elegantes que, quando não estão ao alcance dos olhos, mantém acorrentada a mente de um homem?

Olhem com carinho para as mulheres elegantes, senhores e senhoras do júri! Elas nem sempre tem quem as defenda, quem lhes dedique um libelo como este. Esta mídia onipresente não tem muita paciência com a falta de mercantilidade de suas bocas e suas pernas, ela precisa de uma renovação frenética, de um frescor efêmero, e não de sua sedução lenta mas perene. E na luta justa para quebrar alguns grilhões tão seculares, na necessidade de consolidar a força e os direitos das mulheres, a elegância infelizmente confundiu-se com a execrada subserviência feminina e foi indevidamente enxotada para o canto das tralhas inúteis de outros tempos.

E eu encerro, senhores jurados, pedindo a justiça de seu veredito, mas também a presteza de sua deliberação: há uma assustadora redução das mulheres elegantes, que galopa dia a dia, assolando nossas ruas e avenidas, e que ameaça os homens de uma eterna insatisfação, que condena o gênero masculino ao vazio dos corações e à perniciosas ânsias de viver em buscas extenuantes e intermináveis, e à noites cruas de dessassosego e de eterna frustração. Sejam justos, e atendam aos apelos de homens como nós, carentes das mulheres elegantes.

E tenho dito!!!

Anúncios
Esse post foi publicado em Poemas, contos e crônicas e marcado , . Guardar link permanente.

18 respostas para Em defesa das mulheres elegantes

  1. Vanessa disse:

    Eu nunca havia entrado nesse blog, essa foi a primeira vez e fiquei encantada!
    Muito sábias as tuas palavras, concordo com tudo o que disseste!
    Me tornei leitora do blog já!

  2. Dai Ornellas disse:

    Cada vez mais encantada com seu estilo. Aproveito pra saudá-lo, também, pela excelente exposição sobre Vinícius de Moraes e Fernando Pessoa.

    Um abraço!

  3. arleiro disse:

    Vanessa, Carol, Dai;
    Obrigado pela adesão ao manifesto….!
    Sempre bem-vindas aqui. Abração!

  4. NÁDIA CRUZ disse:

    Bem, pelo descrito por vc, sou uma mulher elegante…
    Então, obrigada pelo post…rsrsr
    Agora sério…
    Muito bom post!
    O mundo seria melhor com mais elegância, em todos os sentidos.
    Abraços!
    Nádia

  5. Ana disse:

    O post está absolutamente ESPETACULAR, e gostaria que esta palavra (espetacular) tomasse um sentido além das letras e da ortografia, queria que você a entendesse como um profundo pedido de agradecimento repleto de comoção e felicidade.Pois acredite quando li este texto foi como se uma fonte inextinguivel de felicidade e contentamento surgisse em mim, afinal não sei se de fato sou uma mulher elegante, mas concerteza espero que para a glória da raça feminina existão mais mulheres “elegantes” ao invés das tantas que surgem hoje como uma vergonha para tantos mártis que empenharam suas vidas nas lutas em favor das mulheres, e muitas destas que agora ousam agradecer com tamanha frivolidade e vulgaridade.Mesmo assim, sem mais delongas gostaria de agradecê-lo pelo post, e fico muito feliz de saber que ALGUNS homens ainda valorizam esse puras e elegantes mulheres que certamente nao hão de se extinguir.
    Obs: E por favor continue deleitando-nos ( a/aos leitores/leitoras) com tão belas e sábias palavras, espero ansiosamente pelo proximo post.

    • arleiro disse:

      Ana;
      há MUITOS homens que apreciam as mulheres elegantes, até os que nem sabem disso! Vejo o eventual desprestígio da elegância feminina como uma crise de identidade entre as próprias mulheres (como você mesmo detectou). Espero que este post e muito do que está aqui no blog ajudem a resgatar um pouco da auto-estima feminina que fica tão bem em vocês, aliás, as torna mais lindas do que qualquer Chanel poderia tornar.
      Obrigado pelo apoio, continuarei (um pouco mais lento, agora que entro em férias) porque escrever também é um deleite para mim. Abração.

  6. Fabiane disse:

    Gostei do texto…Falta não só a muitos homens admirar as qualidades citadas no texto, como muitas mulheres portarem-se como tal. Assim como falta a muitos homens o exercício da gentileza e do respeito pelo “ser mulher”. Afinal, como escreveste, “Elegância está na alma” tanto de homens como de mulheres.
    Abraço!

  7. Oi Arlei, adorei o post…pra mim elegância é, como vc disse, algo tão confundido com outras coisas que nada tem a ver, especialmente ao $ (qdo sabemos que tá cheio de mulher rica que não tem um pingo de elegância).
    Só acho uma pena que não sejam muitos os homens a se admirar diante de uma mulher elegante, mas acho que em parte a culpa é da classe feminina que quiz tanto e tanto se igualar ao homem e acabou perdendo muito do que mais lhe era charmoso e admirável (só pra constar não sou machista, rs).
    Bom, estou de volta tb, em breve com novos posts.
    Bjos
    Gi

    • arleiro disse:

      Gi;
      bem vinda… férias sempre acabam, as minhas também estão no fim…
      Acho que até há vários homens que admiram a elegância feminina tal como descrevi, mas há uma boa questão no que você disse!
      Abração, de volta à luta!

  8. Ruthlea disse:

    Arlei, a cada dia você se supera. Esse texto foi de uma beleza tocante. Sua sensibilidade em relação às “mulheres elegantes”, é admirável. Só mesmo uma pessoa com uma visão única do mundo para escrever algo assim. Você está super de parabéns, é sempre um alento para a alma ler seus textos.
    Abraços!

  9. Céu Costa disse:

    Bem visto!!! Adorei ler o seu texto.
    A procura no que a Palavra ‘Elegancia’ tinha na internet e encontrei as suas palavras tao bem articulados e pensados! Um bem haja. Continue

  10. Laury Maia disse:

    Esta de parabéns, suas palavras foram precisas…
    Ainda não tinha lido texto nesse nivel.
    Maisumavez parabéns!!

  11. Keila Beatriz disse:

    Maravilhoso o seu texto. Parabéns!

  12. Cristina disse:

    Fiquei encantada com tão belas e sábias palavras. As senti como poema.
    Estava pesquisando na Net, sobre senhoras elegantes e encontrei este MARAVILHOSO site.
    Quero que saiba que este lindo texto mexeu profundamente comigo.
    Vai contribuir para que eu saia de uma tristeza… Acredite.
    Que alma linda!
    Muito obrigado Muito obrigado

    Ps:Tenho que agradecer

  13. rafaela disse:

    parabéns pelas belas palavras…
    é muito bom ver e saber que há pessoas que ainda admiram o belo…, a elegância!
    me senti muito feliz ao ler.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s