Conta pra elas, Chico Buarque…

Chico Buarque de Hollanda é um homem do qual todos os demais deveriam ter inveja – eu, pessoalmente, tenho. Senão, vejamos: é um grande compositor, é bonito (ao menos assim dizem as mulheres), bem sucedido, culto e inteligente, acorda sempre ao meio dia (ao menos assim ele o diz), e não tem nenhuma dificuldade em compreender o planeta feminino. Chico já sofreu repressão política e cultural, teve de lutar com a censura na época do regime militar, mas  sua letra mais perigosa jamais foi censurada! “Olhos nos olhos”, de 1976 (gravada de modo magnífico pela Maria Bethânia), é uma bomba, é um perigo para os machos. Se as mulheres prestassem atenção no segredo que Chico revela nesta letra, mandariam pastar tantos homens que faltaria capim neste país. Olhem só:

Quando você me deixou, meu bem / me disse pra ser feliz e passar bem  / eu quis morrer de ciúme, quase enlouqueci /  mas depois, como era de costume, obedeci.  / Quando você me quiser rever  / já vai me encontrar refeita, pode crer  / Olhos nos olhos, quero ver o que você faz / ao sentir que sem você eu passo bem demais  / e que venho até remoçando / me pego cantando / sem mais nem porquê / E tantas águas rolaram / quantos homens me amaram  / bem mais e melhor que você  / Quando talvez precisar de mim  / você sabe que a casa é sempre sua, venha sim  / Olhos nos olhos, quero ver o que você diz / quero ver como suporta me ver tão feliz…

Com o tempo, algumas mulheres aprendem que homens amorosamente desleixados são tão necessários quanto um espartilho, mas mesmo essas costumam dizer “quanto sofrimento à toa, quanto tempo perdido até me dar por conta…”! Além do relativo desconhecimento de músicas do Chico entre as novas gerações, outro fator que contribui para que mulheres ainda sofram tanto por pirralhos que pensam que são homens é uma armadilha emocional que, na verdade, vale para os dois sexos: costumamos desejar com mais ardor o que não temos facilmente.

É uma regra necessária, que nos impede de endeusar o que é banal, mas que muitas vezes acaba degenerando na figura clássica de uma criatura de joelhos para outra que só sabe desprezá-la. Uma bela representação artística deste comportamento é a escultura abaixo (L’age Mûr), de Camille Claudel, escultora e amante rejeitada de Auguste Rodin:

clamille claudel

Apesar de não ser exclusividade feminina, este comportamento é muito mais freqüente entre as mulheres, assumindo um caráter patológico cujo principal sintoma é aceitar sofrer muito para não perder um homem que a faz sofrer muito. Cuidado, gurias, os homens já perceberam isso… olhem só para esta piada gaiata que circula na internet, segundo a qual, para conquistar uma mulher, as percentagens de sucesso de cada tática são as seguintes:

ignore-a

1.Seja você mesmo.   2.Faça-a rir.  3.Impressione seus pais.  4.Respeite-a.  5.Seja espontâneo.  6.Tome emprestado o cachorrinho do seu amigo. Todas as alternativas anteriores, 20%. 7.  ignore-a – 80%.

O segredo é que uma mulher pode viver muito bem, e até melhor, sem a companhia de um homem que não a valoriza. “Quantos homens me amaram bem mais e melhor que você”. Mas, ao contrário da milady da música do Chico, a maioria parece não ter forças para deixar de ser saco de pancadas. Solidão, carência, inexperiência… mas, principalmente, falta de auto-estima. As mulheres que enxugam as lágrimas, empinam o peito e fazem o que a personagem da música fez, quase sempre (ou talvez sempre) conseguem ficar muito melhores e encontrar homens muito melhores. Para ser feliz com alguém, é preciso antes aprender a ser feliz consigo mesmo, aprender a amar e respeitar a si próprio.

mulher chorandoSou daqueles que acha que mulher tem mesmo é de ser derramada, fazer doideiras por amor, se entregar, errar se for preciso… mas quando todas estas jóias femininas são atiradas para os porcos, me recuso a compactuar – isso só faz aumentar ainda mais o rebanho porcino, quando há bichos bem melhores por aí.  Bethânia canta “quis morrer de ciúme, quase enlouqueci”: sim, tomar a decisão de mandar o cafajeste às favas é uma atitude complicada e dolorida – quem enfiou a mão numa cumbuca de espinhos precisa saber que só vai sair dali com uns bons cortes – mas cortes cicatrizam, e é possível aprender a nunca mais enfiar a mão em cumbucas desta espécie novamente. Por isso algumas mulheres melhoram muito com a idade, porque aprendem a valorizar o tipo certo de homem (aquele que valoriza o tipo certo de mulher…).

Não é necessário sentir-se uma poderosa Afrodite, mas toda mulher deveria aprender a punir a falta de cuidado com o mesmo grau de indiferença e dizer: “mereço mais, muito mais do que isso”. Quem aprende a gostar de si mesma não tem pressa ou angústia, não arranca os cabelos por brucutus sentimentais, porque se dá por conta num bimbalhar de sinos que não precisa deles coisa nenhuma. Na imaturidade das primeiras relações, tudo é compreensível, mas depois há que se tornar seletiva, tanto com carbohidratos quanto com homens.

E a cereja do bolo é a ironia, a deliciosa ironia dos últimos versos: “você sabe que a casa é sempre sua, venha sim… olhos nos olhos, quero ver como suporta me ver tão feliz…”. Chico sabe muito bem que um homem destes costuma achar que a mulher que ele despreza vai estar sempre aos seus pés… e também sabe o tamanho da bofetada que levam quando descobrem o contrário. Machões canalhas deste Brasil, dêem um jeito de censurar o Chico – ou ouçam bem para aprender:

Anúncios
Esse post foi publicado em Música e marcado , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Conta pra elas, Chico Buarque…

  1. NÁDIA CRUZ disse:

    UAU!!!!
    Bem, vamos começar pelo Chico…sou uma privilegiada, pois já caminhei várias vezes, no calçadão do Leblon/Ipanema, pertinho dele. Porém, fiquei na minha, pois não seria inconveniente ao ponto de atrapalhar a caminhada de qualquer pessoa…
    O Chico, dizem tem alma feminina.Eu acho que ele é um homem inteligente, pois assim como vc, ele percebeu essa falta nítida, de amor próprio que sentem a maioria das mulheres.
    Exemplo claro seria, se fizessem uma pesquisa, entre mulheres, o que elas mais desejam na vida, a resposta em 85%, seria: Viver um grande amor, e serem muito amadasssssss!
    No caso masculino, acho que nenhum responderia isso…rsrsrs
    Concordo com vc, quando diz que mulher tem mais que se afastar do idiota, que não gosta dela, e saber que a dor vai passar…
    Enfim, mas uma vez, ADOREI seu texto!
    Um abraço!
    Nádia

  2. Fernanda Moraes Catelli disse:

    Tô aqui de queixo caído! Literalmente! Que lindo seu texto!
    Confesso que revivi minha vida enquanto lia. Eu sofri por um desses brucutus por longos 6 anos. Até que um dia me dei conta do qto eu estava sendo irresponsável comigo mesma e decidi (com muita dor) que não me permitiria ser tratada de outra forma senão com respeito, carinho, amor, cumplicidade, etc, etc.
    Posso afirmar, por experiência própria, que ninguém morre de amor!
    Qto ao Chico, qualquer comentário meu seria insuficiente para descrever a admiração que tenho por ele! Eu realmente acredito que ele tem a alma feminina (rsrs)!
    Qto a vc, só me cabe parabenizá-lo mais uma vez por fazer minhas noites de domingo mais felizes com seus textos!
    Tiro o meu chapeu pra vc! Bjos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s